Pulseira A Culpa é Das Estrelas

slide1

Promoção Estilhaça-me

slide2

A Redenção de Gabriel

slide3

Caixinha de Correio

slide4

Boneca de Ossos

slide5

Lidos em Junho 2014


Oi galera, tudo bem? Sei que estou mega hiper ultra atrasada com esse post, mas como diz a minha vó: 'antes tarde do que nunca'! Em Junho minhas férias acabou, eu voltei a trabalhar e toda essa coisa de copa do mundo e o corre corre para dar conta do serviço, acabou fazendo com que eu lesse bem menos do que queria. Como já comentei com vocês antes, estabeleço uma meta de um livro por semana, pois como leio de noite depois que chego do trabalho, não tem nem como devorar um livro por dia, a menos que seja feriado e eu esteja sozinha em casa. Então acho justo esse meu prazo, pois assim posso me dedicar as coisas da casa, como lavar louça e fazer a janta por exemplo, e ainda assistir minhas séries favoritas na TV, sem ficar sobrecarregada. Porém em Junho tivemos quatro semanas, e eu li apenas três livros, não bati minha meta. Mas faço um desconto por ter sido um mês de muita distração: dia dos namorados, meu aniversário, copa do mundo no Brasil e etc.

Blá blá blá a parte, vamos ao que interessa! Esta no ar o meu vídeo com os lidos no mês de Junho. Abaixo vou deixar os links das resenhas também.


Trailer Legendado de Cinquenta Tons de Cinza


Olá pessoal, como vão? Hoje eu venho trazer para vocês o trailer legendado de 'Cinquenta Tons de Cinza', que por incrível que pareça só me decepcionou em uma coisa: nossa protagonista aparenta ser bem mais velha que a personagem Ana Steele. Isso já era perceptível quando o elenco foi revelado, mas no trailer a protagonista não aparenta ser uma recém formada virgem. Tudo bem que isso não é algo que vem estampado na cara das pessoas, e realmente é mais uma implicância minha do que algo que venha a atrapalhar. Então assistam ao trailer com legenda e me digam o que acharam.


A resenha de 'Cinquenta Tons de Cinza' você pode ler clicando aqui.
XOXO

[Resenha] A Minha Turma é Fogo - @arnaldodevianna

Título: A Minha Turma é Fogo
Autor: Arnaldo Devianna
Editora:  Zap Book
Ano: 2014
Páginas: 152
Gênero: Literatura Infanto-Juvenil
Sinopse: Puxa! Bem no meio da aula cantada do amalucado professor Rio a biblioteca da escola municipal pega fogo. Apesar da confusão, Léo ficou ainda mais surpreso quando a sua sempre tristonha coleguinha Isidora lhe revelou algo inacreditável: “Fui eu que coloquei fogo na biblioteca! Foi sem querer. Serei expulsa... Me ajuda, vai?” Putz! Isso significava enfrentar o todo poderoso diretor Geraldo Peçanha e a terrível professora de matemática, Dona Maria do Carmo. Pior, por capricho do destino, se Léo não lhe ajudasse a sair daquela enrascada, estaria encrencado também. Seria preciso uma idéia daquelas... Viver é fogo! Assim, na luta para salvar Isidora, Léo e sua turma se envolvem numa aventura louca, divertida e muito quente... Mas valerá a pena. A experiência do “Juntos, podemos mais!” transformará a vida deles. Melhor, ela pode mudar o mundo! (SKOOB)

Faço questão de intercalar em minhas leituras do mês, no minimo um livro infanto-juvenil, pois assim me distraio um pouco e me sinto renovada para mergulhar em outro enredo mais complexo. A Minha Turma é Fogo, publicado pela editora Zap Book, e cedido cordialmente por seu autor Arnaldo Devianna, me fez relembrar a época do colégio e associar seus divertidos personagens aos meus antigos colegas de classe.


Nossa história começa com um terrível cheiro de fumaça, os berros do monitor do colégio gritando FOGO! FOGO!, e o maluco professor Rio, abandonando seus alunos em meio a algazarra. Entre os estudantes da 6°A está Léo, nosso personagem principal, que ao ver a biblioteca da escola cuspindo fumaça, percebe que sua colega Isidora - a garota mais chorona da turma - não estava entre eles. Afinal de contas, foi ele mesmo quem pediu para a menina entregar um envelope com o dinheiro do diretor Peçanhas, para a bibliotecária Catarina.

Para sua sorte, Léo avista a garota chorona sentada na calçada, e a primeira coisa que lhe vem a cabeça é o que aconteceu com a grana do diretor. Como em toda escola essa também é feita de grupinhos, porém Léo procura exercer a paz entre as 'espécies' e sonha um dia acabar com toda essa idiotice. Então tentando dar uma chance para a garota com quem ninguém tem interesse em conversar, ele se dispõe a ajuda-la, só o que ele não esperava era ouvir de Isidora que foi dela a culpada pelo incêndio na biblioteca.



E agora, será que a menina que vive infeliz com a vida por causa do doença do pai, realmente causou um incêndio por acidente? Será que Léo enfrentará a terrível fama do diretor Peçanhas para provar que tudo não passou de um incidente cometido pela coleguinha? Mas e se no final das contas for tudo um plano de Isidora para ficar com o dinheiro do diretor e eliminar as evidencias? Isso vocês só saberão lendo 'A Minha Turma é Fogo', pois a graça da história está justamente aí: no que se descobre a cada página!



O que posso garantir é que se trata de um enredo totalmente leve e um autor incrivelmente bem humorado, que misturou suspense e comédia para criar uma turminha alvo dos desejos de cada um que por os olhos neste livro. Eu ri bastante com os apelidos de alguns personagens, como por exemplo João Caga Ossos, e fiquei super curiosa para descobrir onde tudo isso ia parar. E no fim das contas, em meio a cenas que você não sabe se é verdade ou mentira, é possível concluir que realmente a união faz a força, e que mesmo quando tudo parece ser o fim, é importante fazer a coisa certa, pois as vezes o tal fim é só uma forma de nos apresentar a um novo começo.

NOTA: 


[Filme] La Belle et La Bête


Não sei se vocês perceberam, mas o mercado cinematográfico tem dedicado um grande espaço para as produções de versões dos clássicos contos de fadas. A Bella e a Fera, não poderia ficar de fora né? 

Então, em 2011, nós tivemos uma versão, estrelada por Vanessa Hudgens. Que foi uma versão bem teen e atualizada da história. Esse ano La Belle et la Bete, a versão francesa da história, foi lançada. Apesar de ser bem atual, a pegada do filme é mais antiga, e eu vim contar para vocês o que achei. 


O pai de Bela é um mercador muito rico. Pai de três filhos homens e três mulheres, dedica sua vida aos filhos e a suas embarcações. Em uma grande Tempestade, o mercador acaba por perder os barcos, as cargas e consequentemente sua riqueza.

Algum tempo depois, após ter mudado com sua família para uma casa mais humilde - como se fosse uma fazendinha gente - ele descobre que um da suas embarcações foi encontrada. Com o filho mais velho, ele vai para cidade afim de reaver o barco e assim a sua riqueza também.

As duas filhas mais velhas fazem uma lista de exigências, com artefatos que o pai deve trazer ao retornar da cidade. Bela, a mais comedida de todas as filhas, após a insistência do pai, só pede a ele uma rosa. 

Chegando na cidade, o mercador descobre que mesmo seu barco tenha sido achado, ele não conseguirá reaver-lo, sendo condenado assim a continuar na pobreza em que esta vivendo. No retorno a casa, o mercador sofre um acidente, e acaba descobrindo um castelo, aparentemente abandonado.


No castelo, além de abrigo temporário, o mercador encontra comida, roupas, joias e tudo aquilo que as filhas exigiram. Após recolher tudo, ele resolve retornar a casa, mas no meio do caminho, ele encontra uma grandiosa arvore, com lindíssimas rosas vermelhas. Lembrando do pedido da filha, ele recolhe uma e então é atacado pela fera.

A fera indignada com o roubo, pois deu ao mercador toda a riqueza que ele queria, mas mesmo assim o mercador roubou lhe um de seus maiores tesouros, diz que ele tem um dia para retornar a casa e despedir-se de seus filhos, e então retornar ao castelo. 

O mercador, sabendo que não tem como fugir da Fera, pois se não retornar, a Fera irá matar toda sua família, parte para casa para despedir-se dos filhos, conformado com seu futuro. Bela, ao saber do acontecimento, se sente culpada, pois se não fosse seu pedido o pai não estaria nessa situação.  

Decidida Bela, foge dos familiares, e se entrega a Fera no lugar de seu pai.


Bela a principio se sente amedrontada pela Fera, mas com o tempo eles começam a conviver, até que a relação dos dois chegue a um ponto de conforto. Enquanto vive no castelo, Bela acaba descobrindo a história de uma princesa que viveu ali a algum tempo atrás.

Bela, pede a fera que a deixe ir visitar sua família pela ultima vez. Após um acordo - que Bela esteja no castelo, no outro dia antes do horário da janta - a Fera concorda em deixa-la partir. Ao chegar em casa, Bela reencontra a família e fica muitissimo feliz com isso. Os irmãos de Bela, vê uma pedra preciosa na capa da menina, e decidem ir escondidos de Bela até o castelo, pegar mais joias e pedras preciosas.

O destino da Fera, depende unicamente de Bela, e que além disso, que ela o ame.

Como não pretendo dar spoiler, vou parar de contar o filme aqui galera hahahha. Se ficaram curiosos assistam!


A primeira coisa que eu tenho a falar sobre esse filme é: Que fotografia maravilhosa! Estou completamente apaixonada por ela. As interpretações estão de arrepiar, e o roteiro é impressionante.

Eu preciso confessar, que gostei mais dessa versão do que a de 2011, achei  mais verdadeira, e mais próxima da clássica. 

Um ponto que eu achei que o filme ficou devendo, foi na questão do relacionamento da Bela e da Fera, acredito que poderia ter sido melhor trabalhada, e ter tido mais destaque.

Enfim, o filme é muitíssimo  bonito, e emocionante. Tem uma história de pano de fundo, que é encantadora, e acrescentou muitíssimo a história principal. Quem gosta de contos de fada como eu, precisa muito ir conferir esse filme!


Beijos , Anna (:


[Resenha] Princesa Adormecida - @galerarecord

Título: Princesa Adormecida
Autor: Paula Pimenta
Editora: Galera Record 
Ano: 2014
Páginas: 192
Gênero: Literatura Infanto-Juvenil
Sinopse: Era uma vez uma princesa... Você já deve ter ouvido essa introdução algumas vezes, nas histórias que amava quando criança. Mas esta princesa sou eu. Quer dizer, é assim que eu fiquei conhecida. Só que minha vida não é nada romântica como são os contos de fada. Muito pelo contrário. Reinos distantes? Linhagem real? Sequestro? Uma bruxa vingativa? Para mim isso tudo só existia nos livros. Meu cotidiano era normal. Tá, quase normal. Vivia com meus (superprotetores) tios, era boa aluna, tinha grandes amigas. Até que de uma hora pra outra, tudo mudou. Imagina acordar um dia e descobrir que o mundo que você achava que era real, nada mais é do que um sonho. E se todas as pessoas que você conheceu na vida simplesmente fossem uma invenção e, ao despertar, percebesse que não sabe onde mora, que nunca viu quem está do seu lado, e, especialmente, que não tem a menor ideia de onde foi parar o amor da sua vida. Se alguma vez passar por isso, saiba que você não é a única. Eu não conheço a sua história, mas a minha é mais ou menos assim...

Em Princesa Adormecida encontramos algo novo, totalmente diferente do que o próprio título nos induz a imaginar. Nele conhecemos Áurea Roseanna ou Anna Rosa, uma menina de 16 anos cujo pai descende da família real de Liechtenstein e a mãe é brasileira.

Anna Rosa, como é chamada pelos três tios, Florindo, Fausto e Petrônio, com quem vive desde os cinco anos de idade, cresceu rodeada de histórias de contos de fadas, e histórias fantasiadas sobre sua própria vida antes dos cinco anos, o que deixa Áurea confusa sobre a realidade. Os tios são superprotetores com Áurea e não a deixam sair de suas vistas, o que deixa a menina frustrada, pois tudo o que ela quer é ser uma adolescente normal, passear com suas amigas e conhecer garotos.

A vilã que encontramos na história é Marie Malleville, que tentou sequestrar Áurea quando a menina tinha apenas seis meses e teve seus planos fracassados graças a Filipe de quatro anos. Mas não foi por isso que ela desistiu, porque nossos vilões nunca desistem, não é mesmo? E com ela não foi diferente, caçou Áurea por 16 anos até finalmente encontrá-la no Brasil.


Uma grande sacada que eu particularmente adorei nesse livro, além da narração em primeira pessoa, que eu amo, foi o fato de Áurea conhecer o seu "príncipe" por mensagens no celular e se apaixonar por ele através delas, sem esse lance todo de contos de fadas onde as princesas se apaixonam à primeira vista e já se casam com o príncipe.

Este foi o primeiro livro que li da Paula Pimenta e confesso que o mais rápido que já li em minha vida, acho que o li em apenas três ou quatro horas. A narrativa é simples, envolvente, faz você se aproximar dos personagens, sentir o que eles sentem e se apaixonar pela história. Pelo que li na internet este é o segundo livro de uma série que a Paula está fazendo, trazendo suas princesas favoritas para o mundo moderno e sem magia. O primeiro é "O livro das Princesas", onde conhecemos a Cinderela moderna em um conto. Neste livro também vemos contos de Meg Cabot, Lauren Kate e Patrícia Barbosa. Acho que preciso lê-lo!

Nota:


Beijos, Pri.